Etapa a Etapa

Escolha do modelo de avaliação organizacional

A primeira etapa e primeiro grande desafio do Projeto IMPACT – impacto social no apoio à vítima foi a escolha, de entre uma vasta gama de modelos, do modelo de avaliação organizacional e dos indicadores de desempenho a incluir.

Foram para o efeito analisados 4 modelos distintos, tendo-se optado por um modelo híbrido que articula dimensões dos diferentes modelos já estabilizados na teoria (de que são exemplo: modelo centrado na dinâmica geral do SGQ da APAV e na abordagem value for money; modelo centrado na metodologia Balanced Scorecard; modelo centrado na performance organizacional; modelo centrado na abordagem da excelência – EFQM).

Uma vez que a APAV detinha já um Sistema de Gestão de Qualidade (SGQ _NP EN ISO 9001: 2008) composto por 8 processos e um processo de avaliação já iniciado e assente na análise custo benefício, definiu-se que a avaliação organizacional se centraria na organização e nos processos já delimitados pelo SGQ, sendo estes:

  • Gestão da Rede Nacional de Unidades Orgânicas (2 procedimentos);

  • Gestão da Formação (1 procedimento);

  • Gestão de Projetos (2 procedimentos);

  • Gestão da Comunicação/Informação (7 procedimentos);

  • Revisão pela Gestão (1 procedimento);

  • Gestão de Recursos Humanos (2 procedimentos);

  • Gestão de Recursos Materiais e Financeiros (3 procedimentos);

  • Melhoria (3 procedimentos).

O processo de avaliação assente na análise custo benefício é, por sua vez, delimitado por 3 dimensões:

  • Apoio à vítima (25 serviços diretos de apoio a vítimas de crime);

  • Prevenção (primária, secundária e terciária da violência) e formação;

  • Serviços únicos (serviços de suporte e informação).

O Modelo de Avaliação Organizacional escolhido conjuga, portanto, o trabalho já desenvolvido no âmbito do SGQ e da análise custo benefício, com um modelo assente na performance organizacional.

 

Dimensões e critérios de análise do sistema de avaliação organizacional

A segunda grande etapa do Projeto passou pela definição das dimensões de análise e critérios par o Sistema de Avaliação Organizacional.

A definição das dimensões e critérios de análise contou com a participação das diferentes partes interessadas à vida da Associação, designadamente: membros da Direcção, assessores/as técnicos da Direcção, gestores/as de Gabinete de Apoio à Vítima, membros/as do secretariado, diretora executiva da formação, gestora da Casa de Abrigo, gestores/as das sub-redes especializadas, técnicos/as de projectos, etc.

Do trabalho conjunto e debate resultaram as seguintes áreas de performance, e critérios:

 

Área de Performance Sub-Área/Critério
Gestão    Planeamento Estratégico e Operacional
   Parcerias e Relações Externas
   Mecanismos de Avaliação e Melhoria Contínua
Operacional    Redes APAV
   Formação
   Projectos
   Prevenção
   Comunicação e Informação
Suporte    Comunicação Interna
   Gestão de Recursos Humanos
   Gestão de Recursos Materias e Financeiros
   Produção de Conhecimento

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para cada sub-área/critério foi subsequentemente atribuído um conjunto de questões de avaliação, bateria de indicadores e fontes de verificação.

 

Níveis de performance

Nesta fase de desenvolvimento a equipa do Projeto IMPACT – impacto social no apoio à vítima está centrada na validação e aprovação dos descritivos dos níveis de performance para cada sub-área/critério anteriormente definidos, bem como à integração da análise custo benefício no SAO.